18 de abr de 2013

quarta-feira


Hoje trabalharei até mais tarde porque todas as vezes que você passa por mim, todos os meus dedos ficam fracos e por isso não consigo digitar uma só palavra. Por alguns segundos ou minutos, depende do tempo que você involuntariamente se dedica a me distrair, minha produtividade cai junto com o meu interessem em fazer qualquer coisa que não seja olhar pra você. E quando você vai embora, meu coração volta a bater normalmente, meu sorriso leve retoma a expressão séria natural do horário comercial e todas as coisas voltam a ter a cor da rotina. Hoje você está inquieto e acompanho você ir e voltar, sem nem perceber o transtorno que me causa e faz tudo aqui dentro ficar com o sabor da paixão que você nem sabe que existe.