10 de mar de 2014

amor não é nada disso.

"Eu achava que, por amá-la, eu deveria derreter-me em versos, comprar flores e enfeites, cuidar para que ela ficasse bem, fazer declarações de amor, dizer coisas bonitas . E depois que ela me garantisse que eu seria o único por quem ela suspiraria, eu poderia ficar sossegado de ter conquistado a moça mais encantadora que já conheci. Mas ela me disse que amor não é nada disso. O amor não tem esse enredo medíocre de novela de época. E ainda teve a ousadia de dizer que o futuro é incerto, que nada podia garantir e eu aqui pensando que meu amor era eterno. Mas aí ela diz que me ama e eu não consigo desacreditar. Mas eu quero segurança, companhia, compromisso. E eu nem sei porque quero isso, mas é o que todos querem. Ah, amor não é nada disso e do que se trata, então? Eu faço umas perguntas que a deixam calada e aborrecida. Ainda bem que ela ainda aceita andar de mãos dadas comigo, e adora olhar as estrelas deitado na varanda e por essa noite basta. Mas  eu ainda desconfio que o amor também não é nada disso."

Nenhum comentário: