9 de jul de 2013

chão do futuro

no futuro, a gente vai rir disso tudo. você vai me perguntar "lembra de como você ficou puta quando eu fiz isso?" e eu vou lembrar só do fato, mas nem vou lembrar do sentimento de fora de si que você me deixa. porque, olhando a nossa história inteira, comparar com uma montanha russa não é só clichê, é também a melhor analogia que se pode fazer. eu lembrarei pouco do medo, lembrarei pouco da euforia, lembrarei da vista lá de cima vagamente e da ansiedade para subir novamente só por alto. o sentimento mais duradouro dessa história toda que se repete, repete e repete é que, no futuro, quando a gente rir disso tudo, o coração batendo forte e a tua mão segurando a minha é o que há de mais gostoso durante o pés no chão.