22 de fev de 2012

um coração partido e um sorriso inteiro



Um dia eu vou aprender a não subir tão alto, a não correr demais, a olhar por onde ando e como piso. Não vai ser agora, porque agora eu só consigo ficar chorando, vendo a ferida aberta e sangrando, sentindo a dor de quem sabe que não devia ter tido tanta pressa.

Vai doer de novo, cada vez menos, mas vai continuar doendo.

Não é um machucado no joelho, como no tempo em que a gente era criança. Não vai passar com remédio e não tem curativo eficaz, mas eu juro que, por mais que doa, sempre haverá um sorriso.

Um coração partido sempre encontra um sorriso inteiro.

E quando passar, eu sei que vou andar devagar, vou sentir medo de correr riscos, e sei que não vou querer sair do lugar. Por instinto, por cuidado e por proteção.

Daqui a pouco, talvez com uns remendos, umas lágrimas e um pouco de mágoa, meu coração ficará mais feio, porém, certamente, mais forte.

Quando todas as mágoas passarem, quando as palavras desnecessárias não ficarem voltando à mente relembrando o inconformado término, e quando seu nome não tiver mais um significado triste, eu vou entender que um coração precisa se partir às vezes, pra encontrar um novo sorriso, inteiro.

Um comentário:

Janayna disse...

doi sim, e vai doer por algum tempo, não adianta dizer que vai passar. todos sabem, vai passar, mas não tem como esquecer. só quem vive essa dor sabe como é. as vezes a gente quer se afundar nela pra tentar reviver e procurar o que deu errado, as vezes a gente finge que não importa e passamos por cima das lembranças e elas voltam mesmo a gente dizendo não. só resta viver a dor. se não tem outro jeito, se não tem como voltar a trás, respirar fundo e tentar consertar o que aconteceu... só resta sentir a dor. viver na dor. doer tanto que a dor vira parte de nós e assim, com o tempo, ela se encaixa no nosso corpo e some, pois faz parte de quem somos e assim podemos continuar sem dor. mas até lá, até o tempo realmente curar, doi, e doi muito e assim sabemos que vivemos algo tão intenso e real, tão especial a ponto de parecer que estão tirando um pedaço da gente. a superação chega, se deixarmos, ela vem, mas acretido que viver na dor é uma forma intensa de dizer que amamos alguém.