23 de mai de 2011

partida

De partida, fica meu coração apertado. Como se tudo me segurasse, como se eu tivesse raíz, como se eu tivesse deixado algo por fazer, incompleto, incerto, como se eu quisesse ir e voltar. Mas eu não quero. De partida, deixo o meu coração aberto. Amarei outras cidades, outros lugares, outras pessoas. Expectativas, experiências, visitas e saudades. Alimento suficiente para quem não pode sobreviver à monotonia, à maresia, à estagnação. De partida, fica meu coração à parte. Como se eu tivesse vindo deixando meu coração no ponto de partida com a promessa de voltar para buscar. E a certeza de que o melhor alimento do momento é a alegria, a verdade e o amor daqueles que vieram comigo, no meu coração.

2 comentários:

Anônimo disse...

Não sei pq vc diz essas coisas...

Arthur V. disse...

Pode ter certeza :}